Vereador Paulo Eustáquio questiona situação de feirantes que ainda não voltaram ao trabalho

por Tatiana publicado 15/05/2020 16h20, última modificação 03/06/2020 16h03
feira livre
Vereador Paulo Eustáquio questiona situação de feirantes que ainda não voltaram ao trabalho

Situação financeira dos feirantes é o que preocupa parlamentar

O vereador Paulo Eustáquio de Souza ( MDB) apresentou um requerimento na última reunião ordinária virtual da Câmara dos Vereadores, no qual questiona sobre a possível volta ao trabalho dos feirantes que não se encaixam no setor de hortifrutigranjeiros. A preocupação, segundo o parlamentar, é com a falta de renda desses trabalhadores que dependem da venda de seus produtos.

Em seu requerimento, o vereador questiona sobre a permissão para atuação nas feiras livres apenas para os feirantes de hortifrutigranjeiros durante o período de pandemia da Covid-19. Uma alteração no Decreto 13.286/2020, que declarou estado de calamidade pública em Poços de Caldas, permitiu, desde o dia 4 de abril, o funcionamento das feiras livres no município, com comercialização restrita para itens considerados essenciais, como frutas, verduras e legumes. Posteriormente, um novo decreto autorizou a flexibilização para abertura do comércio, incluindo bares e restaurantes, com algumas restrições de horários, atendimento, e devendo seguir as normas dos órgãos de saúde.

No entanto, conforme aponta o parlamentar, a flexibilização não abrange os feirantes que comercializam produtos que não se encaixam nos hortifrutigranjeiros. Diante desta situação, o vereador questiona se esses feirantes poderão voltar com suas atividades e em caso de negativa, qual a razão para tal impedimento.

“A renda familiar desses feirantes depende da atividade comercial nas feiras livres, e como houve a flexibilização do comércio, eu gostaria de saber como fica a situação desses outros trabalhadores que estão preocupados, pois já estão há um bom tempo sem poder trabalhar. É claro que tudo deve ser feito com muito cuidado e cautela, estamos no meio pandemia, mas acredito que a situação desses outros feirantes também deve ser analisada com atenção”, destaca Paulo Eustáquio.