Palestras marcam ações da Câmara no mês Setembro Amarelo

por Imprensa publicado 27/09/2018 17h55, última modificação 08/10/2018 15h20
Prevenção ao suicídio
Palestras marcam ações da Câmara no mês Setembro Amarelo

Tratamento da depressão e a rede de atendimento do município foram temas abordados

Estudantes, professores, psicólogos e profissionais da saúde participaram, na última quarta-feira (26), de duas palestras sobre a importância da prevenção ao suicídio. O assunto foi abordado pela psicóloga, psicanalista e docente do ensino superior Carolina Siqueira Coutinho e pela assistente social e coordenadora do CAPS II Cristina Navarro Vieira. O encontro marcou as ações da Câmara dentro do mês Setembro Amarelo, criado em âmbito nacional com o objetivo de discutir e alertar a população sobre o tema.

Palestras promovidas pela Câmara marcaram o mês Setembro AmareloO evento contou com a presença do presidente da Câmara, vereador Antônio Carlos Pereira (DEM), do vereador Pedro Magalhães (PSDB), que apresentou um requerimento propondo as atividades, do vereador Álvaro Cagnani (PSDB) e da secretaria municipal de Promoção Social Luzia Teixeira Martins. Durante as palestras, o público apresentou perguntas, em especial sobre o atendimento na rede municipal de saúde e sobre como receber e auxiliar pessoas que passam por problemas de depressão no ambiente de trabalho.

Depressão e risco de suicídio: prevenção, diagnóstico e tratamento foi tema da palestra da psicóloga Carolina Coutinho. Além de abordar os fatores de risco, sintomas da depressão e formas de ajudar, a profissional falou sobre a importância de se debater o assunto. “Acho importantíssimo abrir o espaço da Câmara para falar sobre isso. Muitas pessoas acham que falar sobre suicídio é um tabu ou que falar nisso vai acabar incentivando as pessoas a cometerem o suicídio. Acho que muito pelo contrário, esse espaço é para trazer informação, conscientizar a população, dizer que tudo bem se você está passando por um problema. É preciso divulgar quais os espaços onde os serviços são oferecidos para que a pessoa saiba que não está sozinha e que pode procurar ajuda”, enfatizou.

Carolina destacou, ainda, que o debate precisa ser constante e não somente no mês Setembro Amarelo. “A discussão deve ser todo dia. A gente está aqui no mês Setembro Amarelo, que é o mês de comemoração desse trabalho de prevenção, mas precisamos falar disso sempre, não deixar ninguém esquecer que isso é um problema constante. Temos muito medo de falar sobre a morte, é uma coisa que assusta a todos, todo mundo tem muito receio de falar sobre essa limitação. Por outro lado, é o único jeito de lidarmos com esse problema com um pouco mais de segurança e com possibilidade de tratamento”, declarou.

A coordenadora do CAPS II, Cristina Navarro Vieira, falou sobre a Rede de Atenção Psicossocial do município, que pode ser definida como um modelo de cuidados em saúde mental que visa à integração comunitária, à cidadania e à saúde das pessoas em estados graves de sofrimento psíquico, com transtornos psiquiátricos ou que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas. “A rede é extensa, bem elaborada, com bastante instrumentos de ajuda e, às vezes, a grande maioria da população não tem informação de como fazer e como acessar. Nós temos uma rede rica em Poços, ela não está completa, mas é muito rica e muito maior do que qualquer cidade da região. Os CAPS estão bem instrumentados, com equipes multidisciplinares, profissionais bem capacitados, temos a atenção básica, SAMU e UPA. Então é todo um esforço em rede para tratar e evitar um mal maior, como a gente discutiu aqui”, ressaltou.Encontro discutiu o tema prevenção ao suicídio.

Cristina destacou, ainda, a importância da sociedade nesse processo. “O suicídio vem aumentando, temos a dependência química que dispara transtornos psíquicos e precisamos de uma discussão ampliada, divulgando e abordando a questão da saúde mental que, após a reforma psiquiátrica, é vista sob uma outra ótica. Você não tem que tirar o portador de sofrimento mental da sociedade e enclausurá-lo, você tem que ensinar a sociedade a conviver com ele para que ele permaneça na família, no bairro, na comunidade e tenha uma qualidade de vida”, declarou.

Para o vereador Pedro Magalhães, que propôs a atividade, os números mostram que é preciso trazer a comunidade para o debate. “Temos, hoje, um número grande de pessoas que cometem o suicídio todos os dias. São cerca de 38 pessoas por dia só no Brasil e a cada 40 segundos temos uma pessoa que tira sua vida. Precisamos avançar em políticas públicas, entendendo a causa para combater o problema. A melhor forma da prevenção é o diálogo, é falar sobre o assunto. Sou autor de um projeto de lei que tramita na Casa, que oficializa a realização de ações visando ao trabalho de prevenção. Foi uma atividade importante, com presença massiva de pessoas ligadas ao tema e nós atingimos o objetivo que é trazer para a Câmara essa discussão, fortalecendo as ações realizadas”, afirmou.

O vídeo das palestras promovidas pela Câmara estão disponíveis para consulta nos endereços www.pocosdecaldas.mg.leg.br e www.youtube.com/camarapocos.

 

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados