Lucas Arruda defende manutenção de recursos do Pronaf

por Imprensa publicado 05/06/2019 16h22, última modificação 05/06/2019 16h22
Moção de Apelo

Uma Moção de Apelo aprovada pela Câmara de Poços, na última semana, solicita ao Governo Federal a manutenção dos repasses do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) para a área rural. A proposição, de autoria do vereador Lucas Arruda (Rede), destaca que a medida adotada recentemente atinge aproximadamente 20 famílias no município que dependem diretamente dos investimentos.

Segundo o vereador, a suspensão dos recursos do Pronaf pode inviabilizar a atividade agrícola para muitas famílias, uma vez que a verba é destinada para a compra de equipamentos e máquinas, construção de espaços para animais, acondicionamento e transporte de mercadorias, entre outros serviços. “O Pronaf é uma linha de crédito especial para pequeno produtor rural e também para os parceiros de café, que estimula a manutenção do trabalhador rural no campo. Nós temos uma flutuação muito grande do valor de venda dos produtos agrícolas, principalmente do café, como exemplo posso citar que hoje o valor da saca de café se compara com o valor de 15 anos atrás. Além disso, nós tivemos aí o aumento do valor dos insumos para a produção do café, aumentos acima da inflação por conta do dólar, então o Pronaf dá esse estímulo ao pequeno agricultor, que consegue ter um capital de giro para fazer sua manutenção”, disse.

Para Lucas Arruda, apesar do cenário financeiro delicado, o corte não contribuirá para a melhoria da situação econômica. Ele ressalta que a agricultura foi responsável pelo crescimento do PIB em 1% em 2017, chegando a R$ 6,6 trilhões. “Esses recursos são capazes de melhorar a qualidade da produção dos pequenos trabalhadores, principalmente os da agricultura familiar. Quando tem esse corte, você pega muitos de surpresa e acaba com o planejamento até de maquinários que podem dar eficiência maior na produção. É muito triste para o setor rural”, afirma.

De acordo com informações da Moção de Apelo, a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG) estima que deixarão de ser repassados aos trabalhadores rurais R$ 800 milhões, sendo que projetos da ordem de R$ 350 milhões já haviam sido apresentados apenas no Banco do Brasil, que representa metade desse tipo de financiamento. Além disso, a Moção aponta que o Governo Federal deixou de repassar ao menos R$ 6 bilhões dos R$ 30 bilhões anunciados para a safra 2018/2019 da agricultura familiar, ocasionando diversos prejuízos para o pequeno produtor que utiliza os subsídios do Pronaf, anualmente, para poder manter sua atividade.

Lucas Arruda reforça que o investimento para promover a agricultura familiar transforma a vida das pessoas e contribui para melhoria da economia. “Meu gabinete está sensível a essa questão e contamos também com a assinatura de vários vereadores para que o Governo Federal reavalie a medida e não ocorra a suspensão dos repasses para o Pronaf”, concluiu.

 

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados