Lucas Arruda cobra prorrogação de prazos das parcelas da COHAB e Plano Municipal de Habitação

por Tatiana publicado 29/04/2020 16h30, última modificação 15/05/2020 15h42
habitação
Lucas Arruda cobra prorrogação de prazos das parcelas da COHAB e Plano Municipal de Habitação

Indicações do vereador foram encaminhadas à prefeitura e à COHAB

O vereador Lucas Arruda (Rede) apresentou duas indicações solicitando estudos para que sejam prorrogados os vencimentos das parcelas de Programas Habitacionais no município. A primeira indicação foi encaminhada à Assembleia Legislativa de Minas Gerais e à Companhia de Habitação de Minas Gerais (COHAB) e a segunda foi direcionada à prefeitura, responsável pelo Programa Municipal de Habitação.

Segundo o parlamentar, as indicações levam em consideração a pandemia de Covid-19 enfrentada no mundo todo e que tem acarretado prejuízos na saúde, na economia e em diversos outros setores essenciais, já que muitas pessoas tiveram perdas significativas em suas rendas.

Nos documentos, o vereador solicita, tanto ao município, quanto ao Governo do estado e à COHAB, que se prorrogue, por um período de 90 dias, ou outro período cabível, o pagamento das parcelas pelas famílias contempladas nos dois programas de habitação citados, assim como a Caixa Econômica Federal fez no ‘Programa Minha Casa Minha Vida’.

Neste sentido, o vereador faz as indicações para que estudos sejam realizados no intuito de flexibilizar e estender as datas para os pagamentos dos Planos Habitacionais, atendendo à reivindicação de diversas famílias que enfrentam dificuldades financeiras neste momento.

Assim que começou a pandemia, a Caixa Econômica Federal suspendeu as parcelas do Programa Habitacional ‘Minha Casa, Minha Vida’, por 90 dias, podendo ser prorrogado, justamente porque o ‘Minha Casa Minha Vida’ atende famílias em condição de renda um pouco menor e é esse também o objetivo tanto da COHAB, que é do governo do estado de Minas Gerais, quanto do Plano Municipal de Habitação. Então, nesta linha, nós estamos cobrando também uma posição tanto da prefeitura, quanto da COHAB, de fazer essa suspensão nos mesmos moldes que a Caixa Econômica fez, para poder também atender esta parcela da população, o que é muito importante neste momento para que também não haja inadimplência. Por isso, a suspensão neste período eu acho que é o melhor caminho a se seguir”, explica Lucas..

registrado em: